Sharing is caring!

 

O kick-off meeting oficial do projeto SEAFUEL realizou-se nos dias 25 e 26 de janeiro de 2018, em Galway, Irlanda.

Com um orçamento total de 3,497,632.98 € e a duração de 3 anos, o projeto SEAFUEL visa promover o aproveitamento das energias renováveis em todo o Espaço Atlântico, como fonte de energia nas frotas de transporte local e apoiar a transição para uma economia de baixo carbono. O projeto será desenvolvido com a experiência e conhecimento dos parceiros em energias renováveis, designadamente solar, eólica e marinha, para demonstrar a viabilidade do hidrogénio como combustível a ser utilizado pelas autoridades de transporte de nível local.

Entre as primeiras atividades do projeto, decorreu a primeira reunião transnacional dos parceiros, realizada nos dias 25 e 26 de janeiro de 2018 nas instalações da National University of Ireland (NUI Galway), lider o projeto. Desde o início do projeto em dezembro de 2017, a kick-off meeting proporcionou a oportunidade perfeita para os parceiros efetuarem uma revisão dos objetivos e do plano de trabalho do projeto, assim como, um breve resumo da cada atividade prevista para a 1ª fase do projeto. Além disso, no dia 26 de janeiro, realizou-se uma sessão com peritos externos dos projetos Big Hit e GenComm, sendo o último financiado pelo Programa INTERREG NWE, com a intenção de estabelecer pontes de comunicação e de cooperação com outros parceiros de projetos sobre o hidrogénio.

O projeto SEAFUEL visa demonstrar a viabilidade da utilização de modos alternativos de energia, obtidos através do aproveitamento das energias renováveis e da água do mar, como fonte de energia alternativa para os transportes locais e sem pegada de carbono, conforme promovida pela iniciativa europeia COM(2010)2020. O projeto inclui a inovação tecnológica, através da instalação de uma planta piloto, a criação de políticas enquadradoras e a análise da sustentabilidade relativamente à produção, distribuição e utilização de hidrogénio como vetor energético alternativo em regiões remotas do Atlântico. A energia necessária será gerada a partir dos recursos renováveis disponíveis no Espaço Atlântico, designadamente solar, eólica e marinha.

O projeto SEAFUEL visa dinamizar o crescimento verde e a economia azul e a criação das condições adequadas à concretização das politicas da União Europeia para valorização das energias renováveis nos sistemas de transporte limpos e sustentáveis. Devido à dependência das infraestruturas continentais, os territórios isolados, como as regiões insulares, enfrentam o desafio particular com os sobrecustos no aprovisionamento de combustíveis e na produção de energia elétrica. O projeto desenvolver-se-á nestas regiões onde o setor dos transportes contribui com 30% para o consumo de combustíveis fósseis. Está prevista a redução das emissões de gases com efeitos de estufa, PM e NO2, em linha com a Diretiva 2008/50/EC relativa à qualidade do ar do ambiente e a um ar mais limpo na Europa, e criar um caminho para que as regiões insulares sejam independentes energeticamente, com efeito replicador para a criação de futuras instalações energéticas em outras regiões do Atlântico. Será desenvolvido um modelo de oferta de energia alternativo para que as ilhas envolvidas no projeto cumpram os requisitos das Estratégias de Inovação Regional (RIS3), visando uma economia de baixo carbono e o uso eficiente dos recursos endógenos, incluindo os recursos marinhos.

O projeto SEAFUEL é cofinanciado pelo Programa 2014-2020 INTERREG Espaço Atlântico (http://www.atlanticarea.eu/) que apoia projetos de cooperação transnacional em 36 regiões atlânticas de cinco países europeus: França, Irlanda, Portugal, Espanha e Reino Unido, contribuindo assim para a concretização da coesão económica, social e territorial, como parte integrante da Política de Coesão da União Europeia. Os parceiros do projeto são: da Irlanda: National University of Ireland Galway e Comharchumann Fuinnimh Oileáin Árann Teoranta; do Reino Unido: University of Liverpool, Action Renewables, HyEnergy Consultancy Limited e Logan Energy; da Espanha: Institute of Technology and Renewable Energies of Tenerife e Tenerife Energy Agency; de Portugal: Agência Regional da Energia e Ambiente da Região Autónoma da Madeira; e da Bélgica: European Hydrogen Association.